Histórias Reais: quando o propósito vira prática de vida

20 de dezembro, 2019
WhatsApp-Image-2019-12-20-at-08.05.473-1280x853.jpeg

Aluna da i9 Academia desde 2007, Maria Ângela Groth afirma que o corpo foi feito para estar em movimento. Logo, ser uma pessoa fisicamente ativa é de extrema importância para o bem-estar, conjugando saúde física e mental. Baseada nisso, ela estabeleceu seu propósito pessoal, que é chegar a uma idade avançada com qualidade de vida. Afinal, almeja usufruir de tudo o que for possível ao lado de sua família e amigos. Além disso, espera praticar o autoconhecimento, compreender e enfrentar os problemas e as limitações que vierem, ser uma pessoa positiva. “Levanto da cama todas as manhãs pensando em me tornar uma pessoa melhor. Em alcançar meus objetivos, aprender com os erros e focar nos acertos, construir uma vida melhor sempre”, destaca. Neste contexto, Ângela soma quase 13 anos ininterruptos como aluna da i9 Academia. Aliás, foi assim que descobriu sua paixão por corrida de trilhas.

MOVIDA POR DESAFIOS

Motivada pelo então instrutor da i9 Academia Fábio Richter, Ângela começou a praticar corrida em 2011. “O Fábio se tornou um grande incentivador, fazendo meus treinos de musculação e, posteriormente, os de corrida também”, relembra. Logo no início, Ângela participava apenas da corrida anual realizada pela i9 Academia. Dessa forma, se dedicava aos treinos específicos apenas na época da prova. “Numa dessas vezes, o Fabinho me disse para seguir treinando e participar de competições maiores”, comenta. Foi exatamente o que ela fez e, logo, não parou mais. “Me superava a cada prova e ele rapidamente percebeu que eu sou movida a desafios”, orgulha-se.

Nas primeiras competições, Ângela corria provas de 5 quilômetros. Atualmente, a mais longa da qual participou foi de 25 km. Além disso, das corridas de asfalto ela passou para as de trilha, com a vantagem de poder estar em meio à natureza. “Ou seja, subindo e descendo morros, passando no meio de rios…”, conta a aluna da i9. À essa prática Ângela atribui seu “eu” atual e a conquista de muitos amigos que se tornaram parceiros na corrida e na vida. Dessa forma surgiu o grupo Sun Runners, formado por pessoas que se uniram para treinar, correr provas e se divertir. “Em todos estes anos, minha rotina começa com os exercícios pela manhã, que me dão força para encarar o dia”, garante.

Conforme Ângela, mesmo que algumas vezes não esteja motivada para treinar, sempre sai da academia melhor do que entrou. Já nos finais de semana, quando não há provas, ela usa o sábado para fazer um treino mais longo para se preparar. “Não pensem vocês que isso é fácil, mas eu amo”, confessa.

UM PROPÓSITO POR TRÁS DAS CONQUISTAS

Ao longo de oito anos de provas, Ângela ganhou muitas medalhas e troféus. “Alguns mais significativos que outros, mas todos muito importantes. Guardo tudo com muito orgulho, pois quando não puder mais correr, eles estarão lá para eu contemplar e lembrar de cada aventura”. Mesmo assim, Ângela também mantém na memória algumas de suas conquistas mais especiais. Entre elas, o terceiro lugar geral feminino nos 10k da prova da Unimed Novo Hamburgo em 2016. Em 2017 foram o terceiro lugar na categoria no Mountain Do Costão do Santinho – uma prova de 21 km – e o segundo lugar geral feminino nos 10k do Circuito das Estações/etapa Primavera, em Porto Alegre.

Em 2018, Ângela obteve o quarto lugar geral na Summer 48K junto de seu quinteto feminino. Enquanto isso, em 2019, o mesmo quinteto alcançou o terceiro lugar na competição. “Além de pegar um lugar mais alto no pódio, diminuímos nosso tempo de corrida absurdamente, com muito treino”, orgulha-se. Ainda neste ano, Ângela conquistou o terceiro lugar em sua categoria no percurso médio do Circuito de Trilhas e Montanhas, consideradas todas as provas. E ainda obteve o segundo lugar na categoria em distância curta no Circuito da Audax Trail Tour.

MOTIVAÇÃO, PERSISTÊNCIA E SUPERAÇÃO

Atualmente, Ângela conta que está atravessando uma fase complicada, mas que a está superando com foco, disciplina, determinação e vontade. “Isso tudo eu aprendi fazendo meus treinamentos e sendo regrada nos meus exercícios, que sempre me ajudaram muito, inclusive agora”. Segundo ela, dar o primeiro passo pode ser mesmo difícil para quem não está acostumado a treinar. Mas garante que a atividade física é fundamental na vida de uma pessoa. Por isso, sua dica é incorporar os treinos como parte das atribuições do dia a dia. “Sempre me perguntam o segredo e sempre respondo que é foco, determinação e regularidade”, reforça. Além disso, Ângela segue uma alimentação saudável e livre de vícios, certa de que assim a vida é muito melhor. “Quando alguém me fala que se inspirou em mim para correr ou para sair do sedentarismo, eu ganho o dia; acho o máximo”, comenta.

Para quem não é muito fã de musculação, Ângela sugere testar as aulas coletivas. “Na i9 elas são de várias modalidades, com ótimos profissionais”, avalia. Aliás, ela própria afirma que pretende tirar melhor proveito da grade de horários da i9 Academia no ano que vem. “Gosto de fazer musculação, uso as esteiras para os treinos de corrida e eventualmente faço Yoga. Mas, em 2020, quero complementar meus exercícios com mais aulas que possam auxiliar na corrida”, projeta. Além disso, Ângela já traçou diversos planos para os próximos meses. “Primeiro é ser feliz e continuar no meu propósito de manter uma vida saudável, com muita atividade física e atenção à família e aos amigos. Também seguir com meu foco e disciplina em relação a corrida, já com novos e grandes desafios assumidos”, destaca.

DESAFIOS PARA 2020

O primeiro desafio será a Maratona de Porto Alegre, em que fará pela primeira vez os 42 km. Depois, 25 quilômetros “serra acima” da Mizuno Uphill Marathon Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina. Também a La Misión, em Minas Gerais, uma prova de 35 km de trilha, outra distância inédita para Ângela. “Ou seja: muitas e fortes emoções”, antecipa. A partir de sua experiência, ela reconhece que partir em busca da superação parece difícil. “Para quem tenta mas sente aquela preguiça de ir à academia, vá pensando em mudar, em ver com outros olhos. Deixe em casa esse ranço e comece – pois tudo acontece aos poucos”, aconselha.

Conforme Ângela, muitas pessoas querem iniciar uma atividade física em setembro para estar com o corpo sarado em janeiro. “Mas não é assim, esse ‘sarado’ que todo mundo quer depende de muita coisa. É preciso ser regular na sua atividade, fazê-la direitinho, aceitar orientações dos professores, perguntar muito para eles”, enumera. Segundo Ângela, na i9 Academia os instrutores sempre dão feedbaks valiosos. Além disso, é importante complementar os treinos com uma alimentação saudável e atenção à saúde mental. “Afinal, se não estamos bem com a nossa cabeça, o resto também não vai funcionar bem”, avalia. Dessa forma, aos poucos, as coisas vão se tonando boas e prazerosas. “Fazemos um círculo de amizade bacana, pois o ambiente na i9 é muito saudável, cheio de gente ‘pra cima’, gente querida”, destaca.

Com tudo isso, Ângela concorda que realmente pode ser difícil fazer da atividade física um hábito de vida. “Mas logo este difícil vai se tornar fácil e tudo vai acontecer. Só não dá para esperar resultado de um dia do outro… Isso não existe!”, avalia.

 

WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.46
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.46(1)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.47
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.47(1)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.47(2)
Propósito
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.48
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.48(1)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.48(2)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.48(3)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.49
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.49(1)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.49(2)
WhatsApp Image 2019-12-20 at 08.05.49(3)

 

Fotos: Arquivo Pessoal