Exercícios e calor excessivo: mantenha o equilíbrio na temperatura

10 de dezembro, 2018
iStock-590595298.jpg

Com o horário de verão, a movimentação de pessoas em espaços públicos ao ar livre aumenta consideravelmente. Afinal, dias mais longos são um convite para a prática de atividades físicas e de lazer. Por outro lado, as altas temperaturas desta época também elevam o desafio do corpo durante a realização de exercícios. Os efeitos podem ser sentidos tanto por quem está iniciando uma prática quanto por aqueles que já são bem ativos. Dessa forma, a combinação entre atividade física vigorosa e calor excessivo requer muita atenção.

Ao realizar qualquer tipo de atividade física, o corpo produz calor de forma proporcional à intensidade do exercício. Especialmente no verão, o desafio é promover a perda desse calor produzido, evitando que a temperatura corporal aumente. A forma com que o organismo mantém a temperatura interna equilibrada é chamada de termorregulação. Ou seja, quando exposto ao calor externo, o corpo esfria-se para manter o equilíbrio. Isso ocorre através das trocas hidroeletrolíticas pela pele. Assim, a transpiração age como um resfriamento sobre  o corpo, removendo o excesso de calor por meio da evaporação. Já a umidade do ar também influencia na questão da taxa de evaporação do corpo. Quando a umidade é baixa, a evaporação aumenta. Quando a umidade é alta, ocorre diminuição da evaporação e menos refrigeração ocorre. Para manter a performance nessas condições de calor excessivo é possível seguir algumas dicas:

 

1-CONTROLE A POTÊNCIA DOS EXERCÍCIOS

Para se adaptar a novos horários e condições climáticas, controle a intensidade dos treinos. Num primeiro momento, evite os exercícios muito vigorosos e cansativos. Ao perceber que o seu corpo está ficando mais produtivo, retome aos poucos a intensidade. Porém, é fundamental que você conheça e respeite seus limites sob temperaturas elevadas. Pegue leve ao ar livre e, sempre que possível, busque realizar seus treinos mais intensos dentro de ambientes climatizados.

2. HORÁRIOS DE PICO

Assim como na exposição solar, a dica é evitar os horários de sol forte – entre 10h e 14h –  e dar preferência ao início ou final do dia. O sol forte e intenso deixa o corpo mais vulnerável a sofrer de desidratação e exaustão pelo calor.

3. HIDRATAÇÃO

Especialmente no verão é importante manter a hidratação do corpo. Não espere ficar com sede. Tome líquidos antes, durante e depois do treino. A ingestão de líquido também auxilia no sistema de resfriamento do corpo. Por isso, a bebida deve ser mais fria que a temperatura ambiente (entre 8ºC e 18°C). O recomendado é consumir 600 ml de água antes do exercício físico e 250ml a cada 15 minutos de atividade. A adição de carboidratos e/ou eletrólitos deve ser realizada apenas para treinos de mais de 1 hora de duração.

4. SINAIS DE PERIGO

Fadiga, náusea, tontura, dor de cabeça e confusão mental são sinais de exaustão provocados pelo excesso de calor. A condição adversa do corpo pode acontecer rapidamente. Caso perceba algum sintoma, pare o exercício no mesmo momento, antes que a situação possa evoluir para uma insolação ou condição perigosa. Em caso de exaustão, procure por uma sombra, beba água e tente acelerar o resfriamento do corpo molhando seu couro cabeludo, parte de trás do pescoço e peito.

Relacionados